Uma introdução à amigabilidade e à usabilidade
Jorge Marmion

Os termos "amigabilidade" e "usabilidade" designam certas características da interface entre um ser humano (o usuário) e um aparelho qualquer (telefone, DVD, controle remoto, console de um carro, computador, câmera fotográfica, caixa eletrônico, etc.). 

Estas características, na comunicação de um sistema qualquer com o usuário, são altamente desejáveis (diríamos, até, que imprescindíveis):

  • O sistema é fácil de aprender a usar
  • O sistema é fácil de reaprender (Não há perda substancial do conhecimento do sistema após um breve período de inatividade, e é fácil lembrar as principais características do sistema após um longo período de inatividade)
  • O sistema convida à exploração de suas facilidades
  • O usuário consegue identificar facilmente quais funções do sistema devem ser utilizadas em quaisquer (ou pelo menos na maioria das) circunstâncias
  • A interface do sistema é intuitiva, adaptada ao modelo cognitivo do usuário ("parece familiar")
  • O tempo de resposta do sistema adequa-se à expectativa do usuário
  • O sistema minimiza a probabilidade de erro
  • O sistema minimiza as conseqüências de um erro, e possibilita reverter as conseqüências de uma ação errada
  • O sistema transmite ao usuário sensação de segurança

O desenvolvimento de um sistema com estas características não é produto do acaso; é fruto de uma ação planejada, sistemática, que leve em consideração fundamentalmente as particularidades do universo de usuários ("User Centered Design") no oferecimento da sua funcionalidade. 

Usabilidade e Amigabilidade

Há uma certa confusão no mercado quanto à utilização deste termos. Certos autores criticam o uso do último, alegando que a "amigabilidade" está baseada em características de um tipo especial de relacionamento humano, a amizade, que não podem ser reproduzidas entre um usuário e uma máquina (lealdade, etc.). Para esta corrente, somente o termo "usabilidade" seria correto.

Nós acreditamos que há, sim, uma distinção entre estes termos. Um sistema pode adequar-se a todas as características de usabilidade, e ser pouco amigável na comunicação com o usuário. Há, nesta abordagem, a distinção de dois aspectos distintos, porém complementares, de um sistema: sua facilidade de uso e o diálogo que estabelece com o usuário.

Uma perda de tempo ?

Até o surgimento da Internet e sua posterior popularização, a operação de computadores e o acesso a sistemas aplicativos eram privilégios de uns poucos. Todo e qualquer projeto de sistema continha uma fase - treinamento- na qual os  usuários do sistema eram instruídos na sua operação.

Hoje milhões de pessoas, com diversos graus de cultura, conhecimento e habilidades, tem acesso ao computador, e a bilhões de sites ou páginas através da World Wide Web. Não há, geralmente, a possibilidade de treinar o usuário no uso de tal ou qual transação: ou o usuário consegue o que ele quer, ou procura um outro site onde possa satisfazer suas necessidades mais facilmente.


Gostaríamos de ouvir sua opinião sobre este artigo.

Conteúdo Ruim   Bom   Excelente
Utilidade Baixa   Média   Alta

[ Entre em contato ] com o(a) autor(a) deste artigo

[ Convide um amigo ] ou colega a ler este artigo

[ Imprima ] este artigo

(c) 2003-2006 IBRAU - Instituto Brasileiro de Amigabilidade e Usabilidade. Todos os direitos reservados.